PEDRA FILOSOFAL

"Em vez de pensar que cada dia que passa é menos um dia na sua vida, pense que foi mais um dia vivido." (Gustavo Bastos)

domingo, 12 de junho de 2011

POEMA DO IRMÃO PARA A IRMÃ

O que posso falar de você?

Tanto em tão pouco tempo,

desde a minha infância

com a tua companhia,

é sempre aquela voz sensata

que me tira do abismo,

abre-se o meu coração

e nele confesso que te adoro muito.



Olívia, minha irmã querida,

não sei ao certo de onde

o infinito nos pôs lado a lado,

mas é bom estar contigo,

de todo calvário e bênçãos

pelos quais passei,

tu sempre me mostravas

o grande caminho por se percorrer,

e a minha nau ferida

cicatrizava na tua voz de equilíbrio.



Irmã, velha companheira

desta jornada da vida,

meu deleite é ser do teu sangue,

meu deleite é dizer que te amo demais,

pois não somos apenas carne,

mas temos almas próximas

e que se completam.



Que a minha fé te cubra de bênçãos,

desde sempre o teu querido irmão

te quer bem e plena de vigor,

seja este poema apenas

um lembrete do que eu

sinto por você,

é um prazer tê-la

na minha vida,

vida eterna

até ao céu sem fim,

estaremos confiantes

e confidentes,

unidos pelo coração verdadeiro

e cheios de mútua admiração,

quero você comigo

para sempre.



03/03/2010 Gustavo Bastos

(poema feito em homenagem à minha irmã mais velha, Olívia Fürst Bastos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário