PEDRA FILOSOFAL

"Em vez de pensar que cada dia que passa é menos um dia na sua vida, pense que foi mais um dia vivido." (Gustavo Bastos)

domingo, 13 de fevereiro de 2011

SAÚDE MENTAL (POEMA ESQUIZÓIDE)

Agora é que bate a hora de ser são.

Se alguém diz que irá possuir loucuras,

e se gaba de ser astuto,

dirão outros que a soberba é a mancha

da alma.



Agora eu serei são.

Agora eu serei santo.

Se alguém vier dizer-me que sou louco,

direi que minhas estâncias e veranicos

são a praia branda do coração.



Se vierem os cavalos selvagens

e o ovo da serpente,

serei o iluminado corte da roupa,

um brocado lúcido,

uma fagulha de amor despido.



Sei que sou a loucura,

mas a loucura é a sanidade dos poetas.



Se vierem me dizer dos meus delírios,

direi que a vitória do meu saber

são os meus delírios e o meu riso.



Agora é que bate a hora do agora.

Agora é que a alma bate no corpo são.

Minhas preocupações são cotidianas,

e eu rezo por um amor cotidiano,

um amor comum,

sem a mística das paixões imortais.



Eu sou o quadro em branco

pronto às tintas.

O colorido da vida é o meu pendão.

O vivido da vida é a minha pensão.

O que mais sobra não são desditas,

mas o vinho do torpor em toda a sua glória.



Agora é que bate a hora do agora.

Agora sou são, santo.

Agora é a vez do poema

ser o livre pensamento,

livre por ser loucura,

bravo cavalo de montaria,

ensaio da alma e do corpo,

ensaio do nobre sangue,

o puro calor das minhas ações,

bate a hora,

e agora sou são.



Gustavo Bastos 17/04/2009

4 comentários:

  1. Lindo, pois agora sei que sou são.

    ResponderExcluir
  2. Olá Gustavo! Me emocionei muito com seu poema e queria ver se você me autoriza a usá-lo em um trabalho acadêmico. Faço estágio em um CAPS e esse poema caberia perfeitamente em meu relatório de intervenção!
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. priscila, autorizo sim, e se puder, depois me envie o seu trabalho acadêmico p eu ler, fiquei curioso, meu e-mail é gustavovmb@ig.com.br

    ResponderExcluir